Origem do ARCO-ÍRIS

arco-íris

O estudo detalhado do arco-íris aumenta o interesse pelo fenômeno. O arco multicolorido é apenas o começo. olhando com atenção, você verá que acima do arco principal há uma faixa de céu escuro e um segundo arco mais tênue, com as cores dispostas na ordem inversa. O arco principal é formado pro arcos esverdeados e arroxeados, conhecidos como arcos supernumerários. O arco-íris pode variar em brilho ao longo de sua largura ou comprimento earco-iris2também pode se dividir em inúmeros arcos próximos na parte de cima. Se observado através de lentes polarizadas, o arco-íris aumenta e diminui conforme muda a posição das lentes.

A explicação científica básica  foi dada pelo físico persa Kamal-al-Dîn al-Farisî, e, de forma independente, pelo físico alemão Theodoric de Freiberg, no século XIV. Cientistas, entretanto, continuaram trabalhando na sua teoria nos anos 70 e seguintes. As explicações sobre o arco-íris apresentadas em livros didáticos são equivocadas e sua descrição completa ainda está longe de ser atingida. “O arco-íris tem reputação imerecida de ter uma explicação simples.”, observa o físico atmosférico Craig Bohren, da Pennsylvania State University.

O princípio central é o de que cada gotícula de água presente no ar atua concomitantemente como espelho, lente e prisma. Gotículas dispersam a luz do Sol em todas as direções de forma desigual, mas há uma tendência de privilegiar o ângulo de 138º em relação à direção da luz incidente. Ao formar esse ângulo com o Sol, as gotículas parecem mais brilhantes e, juntas, produzem um anel. O que normalmente se vê é a parte superior desse anel, uma vez que não há gotículas suficientes próximas ao solo para formar a parte inferior.

O ângulo de 138º significa que o arco-íris é visto quando nos posicionamos de costas para o Sol. O ângulo de lente varia ligeiramente com o comprimento da onda, dividindo a luz branca do Sol em faixas coloridas. Múltiplos reflexos entre gotículas criam os arcos externos; a interferência de onda é responsável pelos arcos supernumerários; o achatamento das gotículas provoca variações de brilho ao longo do arco; tamanhos diferentes das gotículas produzem arcos partidos; e a luz é polarizada de forma semelhante ao brilho de qualquer superfície líquida.

Mesmo toda essa física não atinge a maneira como quando nossos olhos e cérebro percebem o espectro contínuo como cores descontínuas. O encanto do arco-íris ocorre em nossas mentes tanto quanto acontece no céu.

Fontes: Wikipédia; Theodoric’s Rainbow, um livro de Stephen Kramer; artigo de George Musser para Scientific American.

About these ads

2 Respostas to “Origem do ARCO-ÍRIS”

  1. Quero parabenizá-lo pela pesquisa e esforço em tentar explicar o sobrenatural!
    Porém isso prova mais uma vez a inexcrutável sabedoria de Deus.
    Se os homens soubessem ou conseguissem explicar tudo não seriam homens ,mas deuses.
    Fiquei muito contente com tanta inteligência e poder perceber mais uma vez que a sabedoria de Deus vai além!
    Gn:9: 12 a 17 fala a respeito dessa primeira aparição entre os céus e a terra.
    Um grande abraço
    adriana

  2. clarinha Says:

    eu amu muitu us arcuiris qe eu veju

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: