Origem da FITA ADESIVA

Posted in Origens with tags , , , on outubro 15, 2009 by X-Tudo!

Fita adesiva

Em 1930, empresas de empacotamento de alimentos fascinaram-se com uma película relativamente nova, chamada celofane – um polímero transparente feito de celulose. Embalagens de celofane ajudavam a manter frescos os alimentos embalados, além de permitir que os consumidores vissem sepapel celofane2u conteúdo. Fechar o pacote de celofane, entretanto, era um problema, até que a 3M Company inventou e patenteou a fita Scotch – nome que, até hoje, os americanos usam para se referir a todas as fitas adesivas de celofane. Um produto similar, Sellotape, introduzido sete anos depois na Europa, também teve seu nome genérico associado ao produto.

A cola fita Scotch recebe a denominação técnica de adesivo sensível à pressão. Ela não adere quimicamente ao material onde é colocada, observa Alphonsus Pocius, cientista da 3M Corporate Research Material Laboratory, em St. Paul, minnesota. Aofita 3M 810 19mmcontrário, a pressão aplicada força a cola a penetrar nas irregularidades microscópicas da superfície do material. Uma vez lá, não sai, mantendo a fita no local desejado. A cola “precisa ter uma consistência intermediária entre líquida e sólida”, explica Poncius: deve ser fluida o suficiente para se espalhar sob pressão, mas viscosa o suficiente para não escorrer.

Criar o tipo certo de cola, no entanto, é apenas parte da invenção. A fita adesiva típica contém não dois materiais (a cola e o verso, que pode ser de celofane ou outro tipo de plástico), mas quatro. Uma camada, usada como base, ajuda a cola a se afixar no plástico, enquanto, do outro lado, um agente liberador assegura que a cola não grude na parte de cima. Se não fosse assim, seria impossível desenrolar a fita Scotch.

Recentemente, as fitas adesivas chamaram a atenção dos físicos. Pesquisadores mostraram que desenrolar a fita adesiva em uma câmara de vácuo libera raios X. E, para demonstrar, usaram esses raios X pararaio-x-fita-adesivaradiografar ossos de seus dedos. A descoberta poderia levar à criação de aparelhos de radiografia baratos e portáteis. O desenrolar da fita produz cargas eletrostáticas e o movimento dos elétrons no espaço entre a fita e o rolo produz raios X. Na presença de ar, os elétrons são muito mais lentos e não produzem raios X.

Agora você deve se perguntar: Como alguém pôde pensar que uma fita adesiva poderia emitir raios X e a partir disso, realizar experimentos!? Na realidade a mais de 50 anos atrás alguns cientistas russos mostravam evidências de raios X sendo emitidos quando uma fita adesiva era descolada de vidro. Mas o novo estudo afirma que você pode obter muitos raios X, segundo Juan Escobar. Ele acrescenta: ” A energia que se obtém apenas ao puxar uma fita adesiva no vácuo é enorme!”

O pesquisador afirmou que os raios X são produzidos apenas sem a presença de ar, você tem que trabalhar no vácuo, o que dificilmente ocorre no cotidiano. “Se você puxar a fita no vácuo deve ser super cuidadoso. Eu continuarei usando fita adesiva na vinha vida diária e eu acho que é seguro fazê-lo no seu trabalho. Sem garantias.” Disse Juan.

Especialistas em radiologia afirmaram que é uma idéia bem interessante a noção de desenvolver uma máquina de raios X à partir deste princípio e mais pesquisa deveria ser desenvolvida.

Curiosidade: Se você desenrolar a fita em um local completamente escuro poderá ver um brilho fraco. Podem tentar!

Não estranhem se Macgyver conseguir achar uma saída de um buraco extremamente escuro utilizando apenas uma fita adesiva! Hehehehehe… Até que daria uma boa campanha publicitária para a Scotch, o que vocês acham!? kkkkkkk

Fontes: artigo de Davide Castelvecchi para Scientific American; Hypescience

Anúncios

Origem do ARCO-ÍRIS

Posted in Origens with tags , , , on outubro 15, 2009 by X-Tudo!

arco-íris

O estudo detalhado do arco-íris aumenta o interesse pelo fenômeno. O arco multicolorido é apenas o começo. olhando com atenção, você verá que acima do arco principal há uma faixa de céu escuro e um segundo arco mais tênue, com as cores dispostas na ordem inversa. O arco principal é formado pro arcos esverdeados e arroxeados, conhecidos como arcos supernumerários. O arco-íris pode variar em brilho ao longo de sua largura ou comprimento earco-iris2também pode se dividir em inúmeros arcos próximos na parte de cima. Se observado através de lentes polarizadas, o arco-íris aumenta e diminui conforme muda a posição das lentes.

A explicação científica básica  foi dada pelo físico persa Kamal-al-Dîn al-Farisî, e, de forma independente, pelo físico alemão Theodoric de Freiberg, no século XIV. Cientistas, entretanto, continuaram trabalhando na sua teoria nos anos 70 e seguintes. As explicações sobre o arco-íris apresentadas em livros didáticos são equivocadas e sua descrição completa ainda está longe de ser atingida. “O arco-íris tem reputação imerecida de ter uma explicação simples.”, observa o físico atmosférico Craig Bohren, da Pennsylvania State University.

O princípio central é o de que cada gotícula de água presente no ar atua concomitantemente como espelho, lente e prisma. Gotículas dispersam a luz do Sol em todas as direções de forma desigual, mas há uma tendência de privilegiar o ângulo de 138º em relação à direção da luz incidente. Ao formar esse ângulo com o Sol, as gotículas parecem mais brilhantes e, juntas, produzem um anel. O que normalmente se vê é a parte superior desse anel, uma vez que não há gotículas suficientes próximas ao solo para formar a parte inferior.

O ângulo de 138º significa que o arco-íris é visto quando nos posicionamos de costas para o Sol. O ângulo de lente varia ligeiramente com o comprimento da onda, dividindo a luz branca do Sol em faixas coloridas. Múltiplos reflexos entre gotículas criam os arcos externos; a interferência de onda é responsável pelos arcos supernumerários; o achatamento das gotículas provoca variações de brilho ao longo do arco; tamanhos diferentes das gotículas produzem arcos partidos; e a luz é polarizada de forma semelhante ao brilho de qualquer superfície líquida.

Mesmo toda essa física não atinge a maneira como quando nossos olhos e cérebro percebem o espectro contínuo como cores descontínuas. O encanto do arco-íris ocorre em nossas mentes tanto quanto acontece no céu.

Fontes: Wikipédia; Theodoric’s Rainbow, um livro de Stephen Kramer; artigo de George Musser para Scientific American.

Fotografias de Tebe Interesno

Posted in Imagens with tags , , , on outubro 14, 2009 by X-Tudo!

Uns dias atrás eu estava procurando algumas imagens publicitárias para um amigo quando me deparo com algumas obras de Tebe Interesno, um designer russo que mistura realidade e fantasia na mesma imagem. Suas imagens, nos deixam encantados por apresentar uma certa nostalgia nos personagens fictícios criado pelo artista. Os personagens aparentam ser tão inocentes, curiosos e meigos que dá vontade de ter um bonequinho desses! hehehe…

Em outras imagens sinto que Tebe quer nos mostrar o quanto somos pequenos, insignificantes e sem defesa diante de seres gigantes inofensivos que só querem brincar e se divertir assim como nós.

Vejam as imagens: (para ampliá-las, basta clicar)




A Clockwork Orange – Laranja Mecânica (1971)

Posted in Filmes - Críticas with tags , , , on setembro 25, 2009 by X-Tudo!

clockwork

Dados Técnicos:

País de Origem: Inglaterra

Ano de Lançamento: 1971

Gênero: Ficção

Direção: Stanley Kubrick

Elenco: Malcolm McDowell – Alex DeLarge

Patrick Magee – Sr. Alexander

Warren Clarke – Dim

Clive Francis – Lodger

Michael Tarn – Pete

James Marcus – George

Michale Bates – Chefe dos guardas

Sinopse: No futuro, Alex (Malcolm McDowell), líder de uma gangue de delinquentes que matam, roubam e estupram, cai nas mãos da polícia. Preso, ele é usado em experimento destinado a refrear os impulsos destrutivos, mas acaba se tornando impotente para lidar com a violência que o cerca.

A primeira impressão que tive sobre o filme foi: Um filme pornográfico, violento, cheio de palavrões e sem sentido algum. Esta é uma grande prova de que não é a primeira impressão a que fica guardada em nossas memórias, mas sim as últimas impressões. O filme é pornográfico, violento e cheio de palavrões, mas isto, diferente do que eu pensava, tem todo um sentido por trás que será revelado no decorrer da película.

O filme é uma narrativa de Alex DeLarge que conta sua história. Alex é um jovem inglês que, junto com sua gangue, os druguis, fazem um “show de horrores” na cidade em que vivem, brigando com outras gangues, invadindo casas, realizando estupros e batendo em mendigos. São cenas fortes e impactantes (à la Stanley Kubrick).

Alex em certo momento é preso. Na prisão ele é submetido à um tratamento, chamado de Ludovico. Este tratamento médico pretende, através de vacinas e lavagem cerebral, reabilitar prisioneiros para que eles possam voltar às ruas mais rápido e prontos para se socializar novamente. Toda a surpresa do filme está na sua reabilitação à sociedade, só então percebemos o sentido que Stanley quis dar ao filme com todas as cenas violentas.

Um fato que pode causar estranheza ao espectador é a linguagem incomum que Alex DeLarge e sua gangue usam. É uma mistura de russo, inglês e cockney. Exemplo: drugo = amigo; rozzer = polícia; chavalco = cara. Huahauhaua… bem esquisito, mas não foi criação de Stanley e sim de Anthony Burgess, autor da obra literária que deu vida ao filme.

Laranja Mecânica traz discussões como perdão, lavagem cerebral, reabilitação social, sistema penitenciário e vingança. É um excelente filme com uma trilha sonora primorosa!!

Imagens:

Reparem como os cílios dá um ar cruel ao ator.Alex DeLarge

Reparem como os cílios dá um ar cruel ao ator.

McDowell arranhou a córnea e ficou temporariamente cego ao gravar esta cena.

McDowell arranhou a córnea e ficou temporariamente cego ao gravar esta cena.

Alex e seus parceiros do "show de horrores"

Alex e seus parceiros do "show de horrores"

Show de Horror

Show de Horror

O tempo passa para todos... Fiquei besta como passou rápido para McDowell.

O tempo passa para todos... Fiquei besta como passou rápido para McDowell.

Trailer:

The Shining – O Iluminado (1980)

Posted in Filmes - Críticas on setembro 24, 2009 by X-Tudo!

The Shining

Dados Técnicos:

País de Origem: The EUA

Ano de Lançamento: 1980

Gênero: Terror

Direção: Stanley Kubrick

Elenco: Jack Nicholson – Jack Torrance

Shelley Duvall – Wendy Torrance

Danny Lloyd – Danny Torrance

Sinopse:  Durante o inverno, um homem (Jack Nicholson) é contratado para ficar como vigia em um hotel no Colorado e vai para lá com a mulher (Shelley Duvall) e seu filho (Danny Lloyd). Porém, o contínuo isolamento começa a lhe causar problemas mentais sérios e ele vai se tornado cada vez mais agressivo e perigoso, ao mesmo tempo que seu filho passa a ter visões de acontecimentos ocorridos no passado, que também foram causados pelo isolamento excessivo.

O Iluminado é um filme de 1980 baseado na obra homônima de Stephen King  e por isso deveria apresentar um terror característico da época, certo!? Errado! Stanley Kubrick fez uma obra prima de terror e suspense mesclando seu talento com o talento de Jack Nicholson, que estava além de seu tempo.

Nicholson interpreta Jack Torrance, um escritor que se voluntaria para cuidar de um hotel, isolado de tudo e todos nas montanhas, durante um inverno arrasador. Junto consigo leva sua família para acompanhá-lo e dá-lo todo apoio que necessita, pois o hotel exige cuidados como a manutenção de aquecedores, da cozinha, e da parte externa evitando sempre que a neve tome conta de tudo.

Torrance, logo de início adora a idéia pois pretende escrever um livro e, nada melhor do que o isolamento para se escrever um livro, contudo sua família não se sente a vontade no hotel, pois seu filho, Danny “sente” que eles não estão sozinhos naquele local. Todos os problemas serão desenvolvidos em cima daquilo que Torrance mais queria, isolamento.

O filme pode ser desesperador para quem não gosta de locais abertos e vazios. O cenário é enorme e por conta do inverno rigoroso, apenas 3 pessoas tomam conta do enorme hotel, Torrance, seu filho Danny (o iluminado) e sua esposa Wendy. O ambiente, o silêncio, a falta de opções para Danny se divertir, a cara de Wendy (rsrs) tornam o filme irritante, mas não por acaso, pois é exatamente isso que Stanley queria!

A todo momento você acha que vai acontecer algo, as reações de Jack Torrance são absolutamente inesperadas e sua mulher vê-se a todo instante ameaçada pelas loucuras de seu marido.

Não espere que você irá levar sustos, pois isso não é a intenção. Você fica tenso do início ao fim, e o fim, como não podia ser diferente nas obras de King, abre uma brecha para várias interpretações e discussões.

Algumas imagens clássicas do filme:

As gêmeas

As gêmeas

Jack Torrance

Jack Torrance

O Hotel

O Hotel

Capa do filme

Capa do filme




Perguntas Inocentes

Posted in Uncategorized on setembro 10, 2009 by X-Tudo!

???“Perguntas Inocentes” é um espaço reservado com a finalidade de achar algumas respostas para perguntas aparentemente infantis, mas que nos fazem perder alguns segundos, minutos, horas, ou até mesmo dias de nossas vidas (ex.: Por que o céu é azul!? Por que a água do mar é salgada!?). O mais engraçado é que chegar às respostas de tais perguntas não adiciona nada de muito interessante em nossas vidas, a não ser a cultura inútil. rsrsrs

Vamos nos divertir compartilhando com perguntas inocentes e suas possíveis respostas. Lembrem-se, o importante não é achar a resposta certa, mas sim nos divertimos com as perguntas.

Sugestões:

  • Tentar ser original e sincero na elaboração das perguntas.
  • Não fazer pesquisas em outros sites ou blogs. Use sua experiência diária como inspiração.