Arquivo para limpador

Origem do LIMPADOR INTERMITENTE DE PARA-BRISA

Posted in Origens with tags , , , on janeiro 10, 2010 by X-Tudo!

As vezes, a origem da mais simples tecnologia não é lembrada exatamente pela engenhosidade da imaginação do inventor, mas pelas infidáveis disputas jurídicas ligadas a ela. Nos anais de famosos litígios de patentes, o limpador intermitente de para-brisa ocupa o primeiro lugar. A criação, aparentemente acidental, dessa comodidade útil do automóvel moderno atraiu até roteiristas de Hollywood em busca de uma nova interpretação de Davi versus Golias. O resultado foi o filme Flash of Genius, lançado em 2008.

A história gira em torno de um brilhante professor universitário chamado Robert Kearns. De acordo com as versões mais citadas, Kearns quase teria sido cegado por uma rolha de champanha na noite de seu casamento, em 1953. Mais tarde, sentiu que o monótono movimento sincronizado dos limpadores de para-brisa irritava sua reduzida acuidade visual.

Em 1963, Kearns utilizou componentes eletrônicos prontos para projetar palhetas que limpassem a superfície do vidro uma vez e depois pausassem. O engenheiro demonstrou o invento à Ford e acabou por revelar detalhes sobre seu funcionamento. O fabricante de automóveis decidiu não comprar os limpadores e desenvolveu seu próprio mecanismo.

Treze anos depois, em 1976, Kearns demonstrou um sistema de limpadores comerciais e descobriu que a Ford, aparentemente, havia adotado o seu desenho. Imediatamente, o engenheiro sofreu um colapso nervoso e, uma vez recuperado, iniciou uma batalha jurídica por indenização, que se arrastou até a década de 90, contra as principais companhias automotivas do mundo. Por fim, dois júris concluíram que tanto a Ford como também a Chrysler haviam infringindo as patente de Kearns e determinaram o ressarcimento de 30 milhões de dólares.

Críticos ressalvam, porém, que a tecnologia criada pelo engenheiro violou um critério fundamental do que é patenteável – que um invento não pode ser “óbvio” para alguém com habilidade de fabricar artefato semelhante ao que está sendo patenteado. Um temporizador eletrônico (essência daquela invenção) foi, no mínimo, óbvio, segundo argumentou a Ford. Ainda assim, Kearns prevaleceu nesses dois casos e, para os pequenos inventores, ele será eternamente um herói.

Trailer de Flash of Genius:

Anúncios